Google+

29 de julho de 2011

OUTRO

Fotos: Folha da S. Paulo/Sílvio Portante

Vitor Gurman (1987-2011)

Nem terminou julho e acontece outro acidente com fatalidade numa rua de bairro da capital paulista, desta vez na Vila Madalena (ver o anterior).

Um jovem de 24 anos, mal começando a vida após se formar, é atropelado na calçada e falece seis dias depois. em consequência de traumatismo craniano severo. O que aconteceu com Vítor Gurman pode acontecer com qualquer um de nós dentro de um quadro típico da insanidade que caraceriza trânsito brasileiro atual.

O fato de ser um caro Range Rover Vogue o veículo atropelador nada tem a ver com isso, muito menos ser blindado, ambos dados de total irrelevância nesta tragédia, mas que a imprensa já foi logo fazendo questão de realçar. Fosse um simplório carro de motor 1-litro nada mudaria. Essa mesma imprensa já veio falando em "excesso de velocidade", dizendo que o limite na via é 30 km/h, sem entender que a velocidade máxima mostrada na placa do poste derrubado deve-se à lombada logo adiante.

Como parou parou o Range Rover Vogue depois de atropelar o jovem Vítor

Como foi evidentemente perda de direção numa reta, o fato de o veículo ser "filmado" - não é possível ver nada através do vidro do vigia - provavelmente não contribuiu para o acidente. De todo modo, é inadmissível que a autoridade de trânsito continue a fazer vista grossa para veículos com visibilidade do motorista reduzida qualquer que seja o pretexto, desde o veículo ficar "lindão" a uma ilusória segurança pessoal ou mesmo só para ficar in, "na moda".

Então, o que levou o veículo à perder a reta, atingir um poste de sinalização, invadir a calçada e atropelar o jovem? Pode haver um ou mais motivos e não vou tecer especulações aqui., nem mesmo o que teria acontecido dentro do veículo momentos antes. Mas uma coisa é irrefutável: o automóvel não está sendo levado a sério no Brasil. Da infraestruura rodoviária às atitudes ao dirigir, passando pela fiscalização, hoje a mui cômoda (e rentável) fiscalização eletrônica. Hoje teme-se uma máquina, não um policial.

Espero que, provada a responsabilidade da motorista pelo acidente,  seja julgada e condenada. Automóvel tem de ser levado a sério.

Esse foi o tipo do acidente que jamais poderia acontecer numa via e em condições como aquela.

O AUTOentusiastas compartilha a dor da família do Vítor Gurman.

Resquiecat in pace, Vítor.

56 comentários:

  1. Equilibrado e imparcial, como deve ser tratado este assunto. Não só sobre a morte do rapaz, mas sobre a irresponsabilidade que prepondera em nossa sociedade, o trânsito é um reflexo. BS, parabéns por um post que leva a pensar, sem tender para nenhum lado. Cada um deve pensar sobre o fato e como deve agir daqui para frente, sem demagogia barata.

    Rafael, Florianópolis - SC

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo Laranjo29/07/11 16:45

    Um carro de 2 toneladas não tomba assim fácil. Abaixo de 60km/h não estava...

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo Laranjo29/07/11 16:46

    Outra coisa que me ocorreu agora: Qual era a regra para carteira de motorista categoria "C" mesmo?

    Reparem: 2 acidentes com 2 mulheres no volate em 2 SUV's...

    ResponderExcluir
  4. Rodrigo Laranjo
    Há muitos anos vi um vídeo, desses enviados pela internet, em que um sedã médio para diante de um portão de acesso ao terreno de uma casa, alguém abre o portão, o carro arranca normalmente mas pega uma mureta já dentro do terreno e capota, rodas para cima. Não estava a mais de 20 km/h. Vou tentar achar esse vídeo.

    ResponderExcluir
  5. Antes de mais nada, minhas condolências à família do cara.

    Meu, dá pra ver que o Rangie está "fechado nas preta", parece um furgão.

    ResponderExcluir
  6. Todos os dias eu vejo barbaridades no trânsito, mas parece que ninguém se importa até acontecer alguma fatalidade.
    É incrível, mas todas às vezes em que saio de casa, seja de carro, de bicicleta ou a pé, vejo motoristas a fazer inúmeras loucuras como se fosse
    a coisa mais natural do mundo.
    Muitos condenam a polícia, outros a justiça e outros sei lá quem, mas os maiores culpados somos todos nós. São aqueles que fazem essas besteiras e também os que se calam.
    Hoje mesmo tive que frear violentamente o meu carro na pista, porque um maldito com uma van estava a fazer uma ultrapassagem e quem teve que tomar a atitude fui eu, pois o cara nem se deu ao luxo de retroceder. É mais ou menos assim: "Saia da frente que estou indo e se não sair, que se dane".
    Não é para menos que meu estado, SC, é o segundo em acidentes e mortes per capita no trânsito do país.
    Só para que tenham uma ideia do que acontece, quando fiz curso para renovar a minha habilitação, ouvi de um jovem que estava a fazer a sua primeira, dizer que não via a hora de tudo aquilo terminar para "dar pau" com sua moto, como se a habilitação fosse um passe para as loucuras que faria no trânsito.
    Para que essa situação melhore, é preciso incutir nas criança desde a mais tenra idade, a se comportar na sociedade com ética e saber que acima de seus direitos estão os seus deveres.
    Que retorne aos bancos escolares a matéria de EMC - Educação Moral e Cívica.

    ResponderExcluir
  7. Bob

    Deve ser esse:
    http://www.youtube.com/watch?v=P2qzjdH46gY

    ResponderExcluir
  8. Também vi esse vídeo, Bob.

    ResponderExcluir
  9. Joel Gayeski
    O próprio! Coisa doida, não? Obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Lembro-me que na época do lançamento da Idea surgiram casos de capotamento ao virar a esquina com tal veículo, a menos de 20km/h.

    O que é intrigante é o fato da grande maioria dos acidentes ocorrer em linha reta, sem trânsito ou fatores de risco que levem o motorista a mudar a trajetória bruscamente.

    Somos peritos em fazer o errado certo, e fazer o certo errado.

    ResponderExcluir
  11. Distraída com o namorado (que estava no carro), pegou a lombada e virou? Não sei, seria a minha teoria. Triste mesmo. Ainda mais por se tratar de um jovem que, pelo perfil informado na reportagem, era inteligente e promissor. Que desperdício (em todos os sentidos)!

    ResponderExcluir
  12. Taí a resposta p/ tudo isso:

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/transito-26-894-vitimas-fatais-no-primeiro-semestre-segundo-dpvat/


    Leia esse artigo...são quase 27 mil mortos no 1º semestre de 2011.

    O equivalente a queda de um Airbus A-319 com 147 pessoas todos os dias...

    ResponderExcluir
  13. Paulo Roberto,
    Também pensei isso a princípio, mas bateu e tombou antes da lombada.

    ResponderExcluir
  14. Isso é uma calçada ou um meio-fio?

    ResponderExcluir
  15. Talvez se a senhora atropeladora não estivesse numa droga duma SUV ela tivesse enxergado a besteira que estava fazendo e tivesse conseguido controlar o carro, ou até o impacto causado pelo parachoque mais baixo de um carro pequeno não fosse fatal, vai saber... não há como saber.

    O que há como saber é que chega de motoristas irresponsáveis atrás de volantes de carros gigantes e potentes. São armas e essas motoristas não tem medo de usá-las e ninguém faz nada.

    Ah, o carro tinha mais de 30 multas não pagas. Já viu né.

    ResponderExcluir
  16. Lindo post.
    Dirigir hoje é algo feito de forma leviana, sem cuidado. Infelizmente, como vemos, as consequencias podem ser fatais.
    A evolução automotiva, que torna os carros mais seguros para os motoristas talvez também leve alguns a abusarem demais, se sentindo protegidos.
    Para mim, a solução é fiscalização séria. Algumas manias viraram obsessão, como trafegar pelo acostamento, ignorar sinalização, manter velocidade incompatível com a via, etc etc... Nesses casos, mais importante que a multa, é a ação da autoridade em parar, repreender e educar.
    Infelizmente realidade distante nestes tristes trópicos.
    Talvez se houvesse fiscalização, este veículo não estaria circulando por aí, por exemplo.

    ResponderExcluir
  17. Este negócio da imprensa enfatizar que um carro caro estava envolvido no ocorrido, deve-se ao fato de que, no Brasil, ser rico é considerado uma espécie de oitavo pecado capital. Todos os dias, dezenas de motoristas de carros velhos (por si só também um fator que leva a acidentes, por conta de suas péssimas condições mecânicas) e pilotos de simples CGs 125 se arrebentam e/ou arrebentam outras pessoas, e ninguém vê nada de errado no fato de seus veículos serem baratos.

    ResponderExcluir
  18. PS: esqueci de assinar meu post acima.

    Mr. Car

    ResponderExcluir
  19. Chevette 76
    Como assim? É rua e calçada.

    ResponderExcluir
  20. capotou pq a pista não estava emborrachada e o composto do pneu... vai te cata, tentam achar culpa em tudo, menos no braço do motorista, devia estar + louco que o batman

    ResponderExcluir
  21. Que Deus o tenha. Acidentes podem acontecer com qualquer um de nós, mas como mencionaram Bob e CCN1410 acima, o nível de irresponsabilidade ao volante do motorista brasileiro em geral já chegou a um nível insuportável...

    Claro que o comportamento do brasileiro no trânsito não formou-se no vácuo, mas é reflexo do nível de idiotia que ultimamente atinge os brasileiros ditos "esclarecidos", que têm acesso a carro 0km. Outro dia no meio de uma rotatória um mentecapto quase bate em mim porque simplesmente queria qu eeu freasse para ele entrar direto... o motorista brasileiro não consegue mais entender como funciona uma rotatória.

    Dirigir automóvel precisa ("pra ontem") voltar a ser considerado coisa de adulto. Não quero julgar a motorista em questão, mas tenho notado que em praticamente todos esses acidentes graves o motorista é trintão/quarentão solteiro vivendo irresponsavelmente a adolescência prolongada...

    Quanto à teoria do Paulo Roberto, só para ilustrar como um acidente desses pode ocorrer pelos motivos mais banais; aqui na minha cidade o motorista e se não me engano dois passageiros de uma Hilux morreram na Santos Dumont (Campinas-Sorocaba). Não me recordo se houve capotamento, mas veja só o motivo... O motorista perdeu o controle da direção ao abaixar-se para pegar o fio dental que tinha caído no assoalho; aparentemente eles tinham acabado de almoçar e iam apressadamente para outro compromisso. A caminhonte espatifou-se num daqueles buracos de escoamento de água com túneis de concreto que existem em trevos e alças de acesso.

    ResponderExcluir
  22. Lamentável o que aconteceu...segundo o que vi na reportagem, um jovem cidadão, sabendo que iria beber resolveu voltar a pé da festa. Aí parece que a pessoa que estava dirigindo estava alcolizada e deu no que deu...
    Bebida, insulfilm muito escuro, distração, imprudência? Não sei...mas uma coisa leva a outra e o resultado é quase sempre uma fatalidade.

    O vídeo do carro capotando daquela forma é muito estranho.
    Reparem na maneira como ela ''engasga'' bem o carro antes de entrar e capotar...

    ResponderExcluir
  23. Anônimo 19:35

    Revi o vídeo com atenção e reparei que o porteiro, que estava bem no caminho de entrada, parece estranhar a primeira freada brusca e após a primeira engasgada sai rapidinho de perto...provavelmente percebeu que a motorista estava o maior pudim de pinga...

    ResponderExcluir
  24. Luiz Dranger29/07/11 19:50

    É Bob,
    Mais uma tragédia. Tinham tomado todas, já que o namorado, dono do carro não estava dirigindo. Agora, capotar um Land Ranger assim, é estranho. Abração

    ResponderExcluir
  25. Veja isto Bob.

    http://www.jalopnik.com.br/conteudo/as-consequencias-da-obesidade-automotiva

    ResponderExcluir
  26. Na verdade, o casal estava indo tranquilamente para casa a pouco mais que o limite da rua (35 km/h), após sairem de um bar onde jantaram e beberam apenas suco natural com clorofila. Ao passar na lombada a essa velocidade, o carro tombou indo de encontro ao traseunte na calçada e ocorrendo na sua trágica. Isso pode acontecer, pois o Land Rover Vogue é um carro perigoso e sem nenhuma estabilidade...

    Me poupem vai... A câmera mostrou passando em alta velocidade na rua. é a sindrome do Pateta motorista. Wall Disney já mostrava isso nos anos 40.

    ResponderExcluir
  27. Para quem não conhece, a rua sofre um afunilamento onde houve um acidente.

    A alta velocidade com outros fatores que prefiro não especular resultaram no acidente.

    ResponderExcluir
  28. Bob e Entusiastas;

    Nasci em 1978 e me criei nessa região, onde morei até 2003 e até hoje ainda passo por essas ruas pelo menos uma vez a cada dois meses quando visito meus pais. Rua Natingui e Delfina é o caminho da casa das minhas avós (uma mora a menos de 5 quadras da esquina em questão e a outra, na Mourato Coelho, rua cujo prolongamento até a Natingui chama-se...Delfina) e afirmo: O Buraco ai é mais embaixo. E falo por partes:

    1-) Região de bares. Cadê a lei seca? O pessoal bebe e sai trançando as pernas e pega um carro. E pelo menos até o ano de 2005 quando eu ainda frequentei um pouco os bares da região, nunca vi nenhum policial autuando ou fiscalizando.

    2-) O asfalto EXATAMENTE neste ponto em questão é lisinho entretanto extremamente ondulado por conta de um nivelamento irregular da rua. Trocando em miudos, um asfalto liso, sem buracos num local totalmente desnivelado, irregular. Facil de se perder o controle se vier com um pocuo de velocidade (falo UM POUCO, não excesso como o irresponsável do Porsche do Itaim). A coisa é tão ondulada que o I30 do meu pai, andando a 40km/h, raspa o protetor do cárter no chão no cruzamento em questão.

    3-) Qualquer desgontrole nessa rua provoca acidentes. Ela é tão estreita que duas caminhonetes não podem se cruzar (lembrando que ela tem duas mãos). O trecho em questão é conhecido como "Rua do espelho retrovisor" pois é extremamente comum o choque dos espelhos retrovisores. Eu mesmo já tive incidentes nessa rua, relacionados a espelhos retrovisores.

    Outro agravante (e vem de encontro com o mencionado por você Bob) consiste na iluminação deste trecho que é simplesmente péssima. Muitos anos atrás (coisa de uns 20 anos), era um trecho bastante perigoso, onde haviam assaltos a motoristas pois entre outras artimanhas (como colocar pessoas deitadas se fazendo de doentes) pregos eram comuns e minha mae mesma se não fosse a perspicácia e a rapidez, teria sido assaltada no trecho quando furaram o pneu do Passat que meus pais tinham na época.

    Não atiro pedra na moça. Poderia acontecer com um Land Rover, uma F-250 ou com um Uno Mille. O resultado iria ser o mesmo. A conjunção de diversos fatores levariam ao mesmo resultado. Uma pena pois além da vida perdida, a Nutricionista, culpada ou não terá sua vida mais massacrada que o normal por estar dirigindo uma Land Rover. Se fosse um Uno Mille, um Fusca, o caso não teria a menor repercussão ou comoção publica. Infelizmente.

    ResponderExcluir
  29. CCN1410
    Impressionante,não? Eu sempre fiquei muito atento ao tráfego da retaguarda, como sempre que a coluna para, exemplo, nos pedágios. Essa é uma das vantagens do Sem Parar. Quando alguém à minha frente fica parado porque a cancela não levantou, fico em alerta máximo pelos espelhos, preparado para sair do carro e correr. Já houve mortes em pedágios aqui no Brasil causadas por caminhões que não conseguem parar. Aliás, outro motivo para não se usar películas escurecedoras nos vidros da condução.

    ResponderExcluir
  30. Luiz Dränger
    Sabe o que pode ter feito o carro tombar? O poste em que ele bateu. Como não é um poste forte, pode ter dobrado e alavancado o carro.

    ResponderExcluir
  31. Daniel Shimomoto de Araújo
    Antes de escrever, como não conheço a rua, dei uma olhada no Google Earth. É é mesmo uma rua estreita e nessas têm-se que andar realmente devagar, mesmo por que pode sair alguém a pé de uma das casas. Tudo bem que era de madrugada, ao que parece, mas deve-se criar hábitos de direção defensiva e evitar o risco de machucar alguém. Sobre o seu i30, em alguns dias vou andar com um da Caoa, tenho curiosidade. Ah, sabe por que raspa em baixo? Não foi tropicalizado em altura de rodagem. Sempre noto como são "normais". Alías, não foi tropicalizado em outra coisa também, "fréquis", o que é ótimo.

    ResponderExcluir
  32. Anônimo 29/7 17:47
    Essas histórias do Idea, não acredito mesmo. No lançamento, na Bahia, em 2005, o que eu fiz com ela me mostrou ser perfeitamente segura em qualquer situação. Pouco depois de lançado me chegou um um e-mail de um sujeito que capotou de frente, no plano, ao frear abruptmente para pegar uma rua à direita. Não tem como.

    ResponderExcluir
  33. Agora a doida capota um carro que tem tudo quanto é letra de segurança e estabilidade em cima de um rapaz inocente que estava na calçada e as pessoas vem colocar a culpa nas ondulações do asfalto.

    Malditos motoristas ruins, a culpa é somente deles. Direção defensiva é justamente saber onde e como andar e evitar acidentes.

    ResponderExcluir
  34. Sabe qual é o problema?
    Ninguém usa a cabeça enquanto está dirigindo! Um novato de carta, que está aprendendo, não tem em sua formação as instruções de como raciocinar no volante. Não pensa que em tal rua, pode sair uma criança correndo e ele não vai ter tempo de frear se andar em velocidade X, entre outros.
    Não pensa que ao andar na marginal na pista da direita ou esquerda em chuva forte, tem sério risco de passar em uma das várias e enormas poças d'agua e pode aquaplanar sofrendo acidente.

    Se no começo for instruído a pensar nesses detalhes, mais tarde as atitudes de direção defensiva serão tão naturais quanto o ato de dirigir.

    Moro numa rua cuja velocidade é 40km/h, no meio dela tem uma curva, meio cega e ao lado direito tem um parque. É obvio que a probabilidade de ter alguma criança ou cachorro que atravesse a rua ali é enorme. Tem pessoas que passam alí acelerando forte. Graças a Deus nunca aconteceu nada de grave, mas não deve demorar.

    O pior é que esse mesma moça que matou um cara com uma Land Rover, é a mesma motorista que deve trafegar a 100km/h na faixa esquerda da Bandeirantes!!!! Podem apostar.

    ResponderExcluir
  35. Eu fiquei umas 2-3 horas em Mannheim, passeando em um domingo ensolarado. A cidade onde o rio Reno e o Neckar se encontram é a cidade natal do automóvel - cidade muito bonita por sinal. Vi 2 acidentes nesse curto espaço de tempo. Posso estar errado, mas para mim eles estavam é mamados. A liberdade individual é levada muito a sério na Alemanha.

    São cerca de 4.000 mortos no trânsito por ano na Alemanha. Isso com neve (o que incluí poucas horas de luz natural por dia), serras cortadas por estradas simples entupidas de caminhões, placas de Straßenschäden (estrada danificada, com trincas no asfalto como aquela rachadura no S do Senna) e, claro, as Autobahnen onde qualquer um pode descobrir a velocidade máxima do seu carro sem ser multado. E se andam normalmente muito rápido.

    Nas cidades as guias são todas baixas, para se estacionar de frente subindo na calçada. Muitas vagas são delimitadas com meio carro na rua e meio na calçada. Algumas localidades tem tempestades de areia, que provocam engavetamentos monstro.

    A coisa não é tão óbvia... Eu já disse e digo novamente, na Alemanha a liberdade individual é levada a sério. Se pode fazer o que quiser sem ser um criminoso, e tudo tem hora e local...

    ResponderExcluir
  36. Bob Sharp, és o mais sensato quando trata do automóvel em seu contexto sócio-político (à parte da sua experiência vasta no automobilismo) - um anti-estereótipo do piloto.
    Sempre concordei (antes de conhecer tua opinião) nos tópicos que abordas a respeito do trânsito.
    É pena que custe a vida de um cara da minha idade, para algumas pessoas aqui entenderem que o que tu falas não é "rabugice".
    Queria que todos os condutores que conheço lessem esse blog (não por falta de tentativa).

    ResponderExcluir
  37. O vídeo que o CCN1410 enviou é assustador. E pensar que tem gente que entra em rodovias (principalmente as de pistas simples sem acostamento) de qualquer forma, sem verificar se vem carros ou caminhões, achando que os mesmos conseguem frear.

    ResponderExcluir
  38. prezado Rodrigo Laranjo:Categoria C habilita a condução de veículo motorizado utilizado em transporte de carga, cujo peso bruto total exceda a três mil e quinhentos quilogramas (caminhões);
    Para habilitar-se na categoria C, o condutor deve estar habilitado há, pelo menos, um ano na categoria B e não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima, nem ser reincidente em infrações médias, durante os últimos doze meses.

    P.S.: Primeira causa de acidentes: álcool; segunda: sono.

    ResponderExcluir
  39. André Franco29/07/11 23:36

    Conheço bem a Natingui e nesse trecho a calçada tem incríveis 50 cm de largura, sem exagero é isso mesmo, cinquenta centímetros permeados por postes, árvores, buracos, desníveis dentre outras armadilhas, andar nessa rua e nesse trecho é estar sujeito a qualquer coisa, se estiver andando em par...só fila indiana, "enviezando-se" ao desviar-se de postes como o que foi derrubado.
    Fatores que em nada eximem a questão da imprudência da motorista, mas retratam o total descaso das autoridades seja na questão da manutenção seja no planejamento. A cidade como um todo, mal e porcamente é pensada sempre em função do carro, apenas. Hoje é comum ver as manifestações e requisições dos ciclistas...e o pedestre? Quem levanta essa bandeira? Quem a considera relevante?
    Em país desenvolvido, existe uma coisa chamada Domínio do Pedestre, aqui isso é grego, e não é só questão de falta de vontade política não, o problema vem da formação, é cultural mesmo! Não temos infra-estrutura, a mais básica delas!! Mas o pior é que não temos a menor perspectiva de mudar o quadro, essa é a realidade.
    Será que é tão importante discutir a questão da infra-estrura e do mobiliário urbano aqui?? É sim! E é coadjuvante a uma tragédia como essa, em locais de baixo fluxo jamais, repito jamais, uma calçada deve ter menos de 2 metros de largura, o ideal seriam 3 metros...e São Paulo coitada, só tem isso em alguns pontos centrais, resquícios de épocas que ainda haviam idealizadores como Prestes Maia...ou nos bairros urbanizados pela Cia. City. O problema é que nesse trecho a rua tem alto fluxo, pode ser categorizada como via coletora inclusive, com uma caixa de 6 metros de largura, igualmente inapropriada para via de 2 mãos...como é o caso.

    Outro exemplo clássico: Marginal do Rio Pinheiros entre a ponte do Jaguaré e Cidade Universitária (sentido Interlagos), lá o Ex-Prefeito Paulo Maluf presenteou-nos com faixas adicionais...incluindo a que deveria ser acostamento, resultado, não há acostamento por cerca de 2km...Como fica o pedestre nesse caso? Sim, o pedestre que saiu de seu automóvel em possível pane? Pula o muro da raia olímpica? Espera a CET? Espera o Maluf se re-eleger e passar uma laje em cima do rio, para ampliar sua cont...perdão, para ampliar a largura e número de faixas da via? Essa tá na cara de todo mundo, mas vai ficando...só muda se um dia estourar o motor do Jaguar preparado do Dr. Paulo...bem nesse trecho...aí talvez mude...ou não.

    ResponderExcluir
  40. Não sei o que acontece, minha tese é que uma coisa leva a outra.

    1° Auto-escola não forma condutores, não forma motoristas, apenas ensina a passar na prova para obter a dita cuja "Carta", afinal qual motorista novato hoje sai dirigindo carro sem medo por aí? Auto-escola ensina dirigir em estrada? Como se comportar em uma aquaplanagem? Até baliza tem os adesivos lá para te auxilias a realizar as manobras.

    2° A deseducação do trânsito por parte do poder público que só visa lucrar com multas( Na minha cidade de 180 mil habitantes, no primeiro semestre de 2011 faturou 1 milhão em multas só com radar), o que todo mundo sabe que onde não tem lombada e radar, "bora pisar fundo".

    3° Vias de péssima qualidade(buracos, valetas, depressões, mal sinalizadas), o que pode ocasionar acidentes.

    E realmente algo além de uma caneta e multar precisa ser feito, só no domingo aqui na minha cidade( Sta. Bárbara d' Oeste/SP), foram 5 acidentes fatais, isso mesmo 5!
    Um na Rod. dos Bandeirantes, onde faleceu 3 pessoas em uma batida, outro atropelamento na Estrada SP-304, e por fim uma moto que se perde em uma avenida ao passar uma lombada e tromba com uma árvore. ( http://www.diariosbo.com.br/anterior/2011/julho/26/ )

    Repito, algo precisa ser feito!

    ResponderExcluir
  41. Pedro de Albuquerque30/07/11 00:08

    Só de ver a imagem do Google já se nota onde foi a cagada: a placa da lombada é logo no inicio da curva, a calçada é mínima, assim o carro levou a placa e topou na guia e tentou não acertar (ou acertou?) a parede verde.

    Certamente vinha dirigindo igual idiota sem prestar a mínima atenção em nada, no carro com "filme" até no para-brisa.


    Esse é o perfil (dois itens abaixo já o identifica) dos fazedores de merda ao volante, cuidado aos verem: filme; carro eleito pelas revistas; "sonzera"; sentado ao volante todo errado; xenon adaptado; adesivos nos vidros; não usam retrovisor, apenas as setas; luzes de neblina acesa; não usa faról baixo; não dão passagem; dão "esticadinhas" no carro em vias residenciais, mas andam igual um bundão em auto-estradas; pneus e rodas não originais;

    ResponderExcluir
  42. Eduardo Costa30/07/11 03:10

    É incrível. Até as mulheres, consideradas muito mais responsáveis no trânsito que os homens, estão protagonizando acidentes bizarros, dequeles que a gente para pra pensar como é que o sujeito conseguiu fazer aquilo senão queria, ao mínimo, se suicidar.

    ResponderExcluir
  43. A questão da formação de condutores é crítica mas sempre ignorada.
    Minha namorada está tirando carta, e o instrutor do curso teórico diz "motorcicleta", e recomenda "botar película fechada, se ficar escuro é só botar xenon" e rodão para ficar maneiro, etc etc...
    Antigo emprego dele: segurança de supermercado.
    Como, Meu Deus, como isso pode dar certo???

    ResponderExcluir
  44. É impressionante o volume de casos recentes de pessoas sendo atropeladas na calçada. Antes, era algo raro de acontecer, somente em casos extremos. Hoje, é simplesmente banal tal acontecimento...

    ResponderExcluir
  45. Ninguém comenta, mas é preciso acabar com essa obsessão de "tudo mais". Não dá pra desejar o "menos"? Menos potência, menos tamanho. A madame entre na loja e diz: quero esse que tem 200 cv e é grande. A bicha mal sabe o que é potência direito. Pra quê um carro com 200 cv que, no final das contas, vai andar a 30km/h? Talvez seja pra matar mais rápido a vítima.

    ResponderExcluir
  46. Bom, como o Bob postou outro artigo que nos leva somente a "suposições", todo jornalista deveria levantar a informação como um todo, justamente no intuito de INFORMAR, o que não foi o caso.

    Então, eu diria que foi mais um boyzinho (ou mocinha?), ou drogado ou bêbado, lembremos, são suposições.

    Jamais me envolvi em qualquer tipo de acidente, dirijo desde moto até caminhões desde os meus 15 anos, nunca fui irresponsável a chegar neste ponto, o mínimo que está faltando é bom censo.

    ResponderExcluir
  47. Sandro Cunha30/07/11 18:32

    Caro Bob,
    Gostaria muito de conhecer as suas impressões sobre o i30 e fico satisfeito em saber que vai conduzi-lo em breve. Comprei um recentemente e concordo com a sua opinião sobre não ser "fréquis" — uma vantagem.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  48. Outro não-"Frex" que o Bob ficou de testar aqui foi o Kia Cerato automático com 6 marchas. Recentemente vi um na concessionária e achei seu acabamento interno um dos melhores da categoria - nesse aspecto humilhou o Corolla R$ 10 mil mais caro.

    ResponderExcluir
  49. Uniblab, só não esqueça que o Cerato é 1,6 e isso na estrada faz muita diferença.

    ResponderExcluir
  50. CCN1410

    Não mencionei nada de cilindrada e potência; o contexto foi outro.

    ResponderExcluir
  51. Rafael Bruno01/08/11 10:02

    É simples. Só tem gente RUIM dirigindo nas ruas.
    São pessoas que correm lambendo a traseira, mudam de faixa sem sinalizar, abrem a porta sem olhar, etc.

    Já sabemos o que vai acontecer ou aconteceu com essa pessoa que estava dirigindo: NADA.

    ResponderExcluir
  52. Bob,
    Vitor era próximo, conhecido de meus irmãos.
    Moro na rua Harmonia, também na Vila Madalena, e que tem um fluxo bastante considerável de veículos.
    Bob, é incrível a velocidade que veículos - e principalmente os Onibus - trafegam por aqui. No trecho onde moro, em curva, há ainda 2 escolas, um cruzamento movimentado, uma faixa de pedestres e mesmo assim, há casos de onibus muito acima da velocidade indicada.
    Há cerca de um ano atrás solicitei à CET que estudasse a colocação de algum tipo de redutor de velocidade, e até hoje, nada foi feito.

    Me sinto de mãos atadas.


    Abs!
    Bento

    ResponderExcluir
  53. Bob,

    Me formei na ESPM com o Vitor Gurman (Vitão). Numa comunidade de amigos no Facebook uma outra colega gravou o discurso dele, alertando da irresponsabilidade na direção que levou a morte de outro amigo, no começo da faculdade, em 2007.

    http://www.youtube.com/watch?v=jHtKBz5f8XA

    ResponderExcluir
  54. TD, pelas palavras Vitor, pelos depoimentos que assisti na TV, é fácil perceber que se tratava de uma pessoa muito especial. Tomara que esta perda sirva como exemplo para muitos que têm tocado o "F" ao volante...

    Estou trabalhando desde abril num cliente em Suzano e inevitavelmente tenho pego a Rod. Índio Tibiriça, cheia de lombadas, caminhoneiros que não abrem pra direita (obviamente, digo isso pois há faixa adicional em vários pontos desta rodovia) e lógico motoristas que estão longe de saber como se deve dirigir. Confesso que abuso na velocidade, mas parei pra pensar ao ler este depoimento e também com o video do crash test. Valeu! Há muito tempo que me considero um motorista consciente, mas decidi aumentar um pouquinho mais a minha margem de segurança. Valeu!

    Sds

    ResponderExcluir
  55. Bob Sharp tudo bem? Sou amiga do Vitor Gurman da faculdade e gostaria que você visse o que nosso grupo de amigos está fazendo pela conscientização de um trânsito mais seguro. Criamos um grupo Todos pelo Vitao no FB e ja fizemos uma marcha silenciosa na Vila Madalena distribuindo folhetos com o dizer:"nao espere perder um amigo para mudar sua atitude"

    Agora, após a morte do nosso amigo, queremos fazer algo maior, em prol de todos sempre homenageando nosso amigo.

    Segue links: https://www.facebook.com/event.php?eid=100674943367157

    https://www.facebook.com/pages/Viva-Vit%C3%A3o-N%C3%A3o-espere-perder-um-amigo-para-mudar-a-sua-atitude/197845843604407?ref=ts

    ResponderExcluir
  56. compraram o silencio dos PMs que nao levaram os contatos de testemunhas a diante... tanto que nao foram chamadas... silencio dos proprios que afirmam mentirosamente, que gabriela dirigia! covarde, incapaz de assumir seu erro, roberto inclusive comprou uma culpada para seu erro grotesco... a fraca gabriela, que tem seu advogado pago por roberto! ATENÇAO!!!! esse moço é um criminoso! coloca medo em testemunhas...apenas procura-se por justiça! pois uma vida nao volta depois de ir! policia envolvida, nao se deixe comprar por uma familia rica... sejam justos e façam a alma de vitor gurman descansar em paz! se a policia nao ajuda, voces da imprensa, pessoas justas podem ir atras... por favor

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...